quarta-feira, 16 de junho de 2010

O amor é como uma flor

(fotografia tirada por mim)
       O amor vive, sobrevive, cai, levanta-se, 
mas acaba por morrer. 
Perde totalmente a força que tinha no início, quando nasceu.
Quando é cortado pela raiz, quando murcha,                                                                                                                                       como esta flor, perde as forças e                                                                                                                                                                      não volta sequer a respirar,                                                                                                                                                            não consegue renascer, sobreviver ou sequer ressuscitar. 
Cai, como a tristeza de uma lágrima salgada, numa recordação                                                                                                                          que um dia foi a melhor da sua completa e pura existência.
Enviar um comentário