segunda-feira, 4 de abril de 2011


Sei que é o melhor para ti.
Mas tanto eu, como tu, sabemos que vai ser difícil, só de imaginar. Já está a ser, em cada momento que falas disso. Sei como vai ser, que quando der por mim, estou a chorar baba e ranho por não estares aqui, comigo ou pelo menos por perto, que vou saber a sensação de estar longe de uma das pessoas que se tornou das mais importantes da minha vida e que vou sentir muito a sua falta quando a 'perder'.
Não vão ser as visitas, os telefonemas, os e-mails e as fotografias que vão mudar o que 'irá mudar'.
Sinto que te vais afastar da minha vida mas, jamais da minha mente e do meu coração, podes contar com isso.
Não é nada decidido, eu sei, mas isto não sai da minha cabeça, está a ser difícil lidar com esta situação.
Há uns dias perguntaste-me: 'não queres que me vá embora?', eu sem hesitar disse: 'não!'. O simples e instantâneo beijo que me deste no braço fez-me perceber que também não me queres deixar. Não só a mim, mas a tudo e todos. Vais sentir-te só, até eu. Mas toda esta solidão e saudade vai perder-se com o tempo, o vento vai levá-las para longe, tal como a ti. Posso estar a ser egoísta, mas preciso de ti, tal como tu de mim.
Tudo isto para dizer que vais estar sempre aqui, todas as tuas lembranças serão guardadas no meu peito e nas milhentas fotografias que te tirei com todo o amor e carinho. Isto não é já uma despedida, mas obrigada por tudo.

                                                                                                                                               14.03.2011

Enviar um comentário