quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Tanto quis armar-me em forte

que mais depressa deu em desastre (para não dizer outra coisa).
Nada de mal, diga-se de passagem, até porque rir foi coisa que não parei de fazer durante todo este episódio de filme (ou apanhados, como queiram).
Pois bem, estavamos eu e o meu pai a levar as compras para o café quando esta personagem (tão ou mais cómica que eu) se esquece da chave e volta ao carro. Esperto ou não, deixa os sacos no meio do passeio. Isto senão quando um carro dá sinal de que quer estacionar ali. Mais me ajuda a não ser eu a tirar os sacos de lá, vai tudo à vidinha, pois claro. Eu, com as mãos carregadas de sacos, ainda peguei num, mas o outro escapou-se-me da mão. Não fosse lá um rico melão, nada de pior acontecia. Lá vai melão estrada fora. Lá vai pai atrás do melão. E lá vou eu chorar de tanto rir ao ver tal coisa. Se bem que ainda lhe dei um valente pontapé para ver se não batia no carro, mas valeu de nada.
Enfim, no fim era eu e o pai a rir desalmadamente e a dizer: 'isto só visto'.

Enviar um comentário