quarta-feira, 28 de abril de 2010

À espera


Não entendo, sinceramente. Há momentos em que a minha vida parece uma autêntica fachada. Ando eu a esforçar-me para quê? Para ser prendada com o que sou? Para ficar de castigo sem ter feito a mínima coisa? E o que tenho eu de fazer? Nada, ainda não tenho 'autoridade' nem possibilidade de fazer algo que faça mudar esta situação. Enfim, só tenho de esperar que aconteça algo que me agrade.
Enviar um comentário