segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

É a noite, por fim, podes tocá-la.
Também a mão, a pequena e febril música na mão,
aí está a iluminá-la.
Agora vê-se melhor o caminho.


Eugénio de Andrade
Enviar um comentário