sábado, 18 de dezembro de 2010

O pior e o melhor..

CONCERTO DE SEMPRE!
(passo a explicar)

Desde as 9h da manhã, ao frio, ao vento e ao pouquinho sol que estava. Nem os 3 cobertores, distribuídos por todos dava para esconder o frio que esboçávamos  nas nossas caras.
Para ajudar a passar o tempo, jogámos ao UNO e fomos comendo o que havia, até há hora do almoço. Depois disso, eu e a C (que somos boé sociais), fomos conhecer pessoas, as da nossa fila e as da fila do lado. Conheci pessoas fantásticas, a A, as I's, a S, a F, o T, o V.. imensa gente mesmo. Trocámos contactos, conversámos e acabei por ganhar um 'namorado' sem saber.
Já na hora de entrarmos, estava um frio de rachar, mas mesmo assim estávamos com a energia toda. Seguiram-se as revistas e a entrega do bilhete e lá fui eu a correr escadas abaixo até ao palco. Fiquei na 6ª fila até começarem a tocar os More Than a Thousand. Com tantos moches, encontrões para trás, para a frente e para o lado direito e esquerdo, fui parar à 3ª fila (o que foi muito bom, se não tivesse três girafões à minha frente).
Com a entrada desesperante dos 30STM, foi a gritaria total. Eu estava tão colada a toda a gente por todos os lados que quando eles saltavam eu saltava com eles, embora não quisesse. Juro-vos que foi mesmo horrível, estava um calor insuportável, mas o pior é mesmo as pessoas que não se respeitam umas às outras. Assisti a vários desmaios, e um rapaz caiu praticamente para cima de mim. É muito mau estar a filmar o Jared Leto e de repente aparecer um segurança a puxar alguém da plateia, acreditem, e ainda pior quando essa pessoa é nossa amiga :s Enfim, tirando isso foi tudo perfeito, os balões gigantes (dos quais dois rebentarem em cima de mim), 2 palhetas que cairam ao meu lado e que conseguiram fazer com que o bruta-montes à minha frente saísse, as luzes, as palavras do Jared..
O que mais me irritou foi um rapaz que estava atrás de mim num instante e no outro só o vi em cima do palco aos saltos (só pode ter saltado por cima das pessoas). Fartei-me de dizer asneiras, com aquele stress e calor todo, com os puxões de cabelo que me deram e com os vários encontrões e braços em cima de mim.
Já no fim do concerto, só queria era sair dali e beber água. Ainda encontrei um bilhete de um tal André Martins e fiquei com ele, para recordação. 
Pronto, o dia 16 de Dezembro foi basicamente isto. Em breve (acho eu), irei pôr fotografias do concerto.
Foi brutaaaaal!

Enviar um comentário